top of page
Blocos coloridos
  • Foto do escritorRenan Magoo

POEMA DO RALO

Atualizado: 16 de mar.




Quando escorrego no ralo me vejo no teto sem freio.


Do ralo a ralada de gente com piercing no meio.


Do bife que tosta na tropa do bope de aliche.


Sabor de feijão com bigode e maxixe.


Desentope a artrose no ralo do chão.


Só não grite, ser chique é cheque na mão.


E assim menstruado no ralo eu fiquei.


E se um dia eu fui ralo, hoje eu sou rei.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page